quinta-feira, 20 de outubro de 2011

S. M. (Salário Mínimo)

Chico Revolução

Na república brasileira
Tudo anda mal
Um dos menores salários mínimo
Do mundo atual
Não há lisura no mundo
E ninguém manda um sinal
O desemprego e as demissões
Parecem coisa banal
A economia cresce pouco
Já despencando no capitalismo central
Se reclamo sou herege
Como classificar o fato real?
Sobra uma sociedade
Sem estrutura dimensional
ai meu salário mínimo
Que não chega um adicional
E tudo gira em torno
Do mundo do carnaval
O enredo de tudo isto
Crucifica o trivial
A algo meio desdito
No processo governamental
Por favor comandante
Aumente meu salário mínimo
Pra que eu possa
Navegar a nau
Quanto à isto não há dúvida
É uma necessidade real
Assim não dá
Para o Brasil ser social

Um comentário:

  1. Faço poesias comerciais é não tinha como custear minhas cervas em um dos muitos momentos que tentei convencer o mundo de que precisava estudar! E desafiava as pessoas que bebiam na frente da UERJ, que me motiva-se uma inspiração! Qualquer palavra virava poesia. Tenho muitas que não fiz questão de copiar elas estão em um mar de desejos que em responsabilidade, social, patrimonial, cultural, coletiva de amor! Mais esta faço questão de guardar.
    Saudações Ecossociais.
    Rodolfo Abreu.

    ResponderExcluir